terça-feira, 31 de agosto de 2010

O que escrever em seu túmulo , se você é...

ESPÍRITA
Volto já.

INTERNAUTA
http://www.aquijaz.com.br/

AGRÔNOMO
Favor regar o solo com Neguvon. Evita vermes.

ALCOÓLATRA
Enfim, sóbrio.

ARQUEÓLOGO
Enfim, fóssil.

ASSISTENTE SOCIAL
Alguém aí, me ajude!

BROTHER
Fui.

CARTUNISTA
Partiu sem deixar traços..

DELEGADO
Tá olhando o quê? Circulando, circulando...

ECOLOGISTA
Entrei em extinção.

ENÓLOGO
Cadáver envelhecido em caixão de carvalho, aroma Formol e after tasting que denota presença de Microorganismos diversos.

FUNCIONÁRIO PÚBLICO
É no túmulo ao lado.

GARANHÃO
Rígido, como sempre.

GAY
Virei purpurina.

HERÓI
Corri para o lado errado.


HIPOCONDRÍACO
Eu não disse que estava doente?!?!

HUMORISTA
Isto não tem a menor graça.

JANGADEIRO DIABÉTICO
Foi doce morrer no mar.

JUDEU
O que vocês estão fazendo aqui? Quem está tomando Conta do lojinha?

PESSIMISTA
Aposto que está fazendo o maior frio no inferno.

PSICANALISTA
A eternidade não passa de um complexo de superioridade mal resolvido.

SANITARISTA
Sujou!!!

SEX SYMBOL
Agora, só a terra vai comer.

VICIADO
Enfim, pó!

ADVOGADO
Disseram que morri.... mas vou recorrer!!!
 
(Parênteses)
(Essa é bem Old School, mas ta valendo.)

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

As Crônicas Tibianas - Cap. 40

A chegada do drúida

Acordei naquela manha ensolarada e Biertrus já havia partido. Abri a dispensa e encontrei um bilhete dele, lamentando a pressa e o sumiço de alguma comida. Não era nada que fosse importante e ele poderia ter ficado o quanto quisesse. Pelo jeito, ele parecia preocupado com a munição que tinha para suas armas, e queria melhorar suas habilidades de pontaria. Mandei-lhe uma mensagem telepática dizendo para ir ao Acampamento das Amazonas, já que suas lanças eram boas para melhoria da destreza.

Sentei-me à mesa e, comendo paezinhos, passei a pensar no que significava o beijo de Malu. Meus pensamentos foram interrompidos por batidas altas à minha porta.
- Quem está aí? - perguntei.
- Carta para o Mago Bierum, morador do quarto 34 do Palácio Papelão de Venore.
"Sinceramente, o nome desse alojamento me irrita!" -  pensei e abri a porta.

O carteiro me entregou um envelope e entreguei-lhe uma moedinha, por mais que fosse apenas sua obrigação. A carta do envelope dizia:

"Caro Mago Bierum,
Estou sendo cuidado por um mago esclerosado, ao sul de Thais. Porém, ele insiste em me dizer que minha missão ao seu lado acabou. Poderia me buscar, assim como sua irmã disse que faria?
Agradeço por qualquer resposta.
Arthur Sam Scott"

Coloquei o envelope na mochila, vesti meu manto de mago e empunhei meu cajado. Bati na porta ao lado, onde Malu dormia. Ela me disse que não conseguiu dormir a noite inteira e que prefiria descansar. Eu disse que estava tudo bem e bati à porta de Andrezinho.
- Me dá um minuto, Bierum! Estou a caminho!
Ouvi o barulho do metal batendo nos encaixes da armadura, lá estava Andrezinho, abrindo a porta.
- Tomou café? - perguntou ele.
- Já! - respondi. - E você?
- Eu tomo no caminho... - disse isso e colocou pães e presunto na mochila.

Caminhamos até a Estrada Principal em passos largos, como se quiséssemos fugir de Venore. Nossa próxima parada: Thais. No caminho, expliquei a situação para Andrezinho.
- Que estúpido! Se ele queria um tutor, que viesse logo a Venore! - foi sua reação.
- Acalme-se... eu não posso ser tutor de todos os magos do continente... no fim das contas é melhor não precisar ensinar o básico. Além disso, Alys me disse que ele já conhecia magia antes, mas,misteriosamente, sua magia não funcionava neste planeta como funcionava no dele.
- Um drúida que sabe fogo? Isso não é possível... ou é?
- Não em Nebula, meu amigo.

A estrada tinha seus tijolos gastos e até alguns subterrados pelas tropas que já pisaram ali. Além disso, a Estrada Principal tinha alguns séculos de idade, era normal que sua pavimentação fosse débil de alguma forma. Quase na metade do caminho, uma pequena tropa de minotauros se dirigia na mesma direção em que nos destinávamos.

Um Minotauro-mago, dois cavaleiros-minotauros e dois minotauros arqueiros. Andrezinho e eu montamos uma emboscada para eles que obteve sucesso: corri o mais que pude em sua direção e desferi uma Onda de Fogo. Irritados, prepararam uma formação de combate que os trocou de posição muito lentamente. Quando os magos e arqueiros tomaram distância, os cavaleiros já estavam mortos e Andrezinho já havia surpreendido esses que não usam armaduras pesadas. Conseguimos pouco ouro, mas um pouco de metal das armaduras que vestiam os cavaleiros.

Seguimos viagem. Passamos ao lado da grande Montanha-Cyclope sem adentrar seus desfiladeiros. Passamos uma ponte feita com rochas, certamente produto do trabalho humano. Finalmente avistamos as torres das muralhas de Thais.

A passos do portão principal da cidade de Thais, lobos famintos tentaram nos cercar. Tentativa vã, pois Andrezinho e eu já havíamos até comido carne de lobo quando morávamos em Rookgard. Guardamos um pouco da carne e prosseguimos.

Para chegar à casa do velho mago era preciso atravessar Thais. E o que nos esperava nesse caminho, meu amigo, será revelado em nossa próxima noite.

sábado, 28 de agosto de 2010

Novo jogo do Rockman Online.

Estava eu entrando no youtube para minha tia, e vi este video nos mais vistos, dei uma pequena olhada e então pensei que era um anime novo do megaman.



Tem muitos personagens do Megaman ali, desde os mais antigos, até os da série X.
O video se trata de um novo jogo do Megaman que será então online ;P

Vai ter o mesmo estilo do X7/8 e você pode evoluir os personagens e afins.
Vai ser feito por uma empresa koreana, que a Capcom "emprestou" os direitos de uso dos personagens, pelo jeito a Capcom não quer ficar muito envolvida no projeto.

Tem poucas informações sobre o jogo, mas o X e o Zero serão personagens jogaveis e sobre a história tem menos informações ainda.

Dizem que vai ser uma porcaria (e eu também acho o mesmo) a Capcom pelo jeito não quer arriscar e tirar o jogo do oriente e distribuir para o ocidente, mas vamos esperar para ver.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Mindfuck.

Só fui descobrir essa a duas semanas atrás .-.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

As Crônicas Tibianas - Cap. 39

Milla, Bryan e Biertrus se despedem

Começava a escurecer. Todo o grupo se dirigiu ao Banco de Venore para que depositássemos nossas moedas de ouro. Eu estava satisfeito, pois não me preocuparia com o alguel durante algum tempo. Bryan e Milla praparavam suas mochilas para a partida.

[Mi] - Mestre Bierum! Muito obrigada pela sua ajuda!
[B.W.] - Não foi nada, minha cara. Você também ajudou o grupo. E seus poderes já estão alcançando os meus!
[Mi] - Mas você sempre será meu mestre.
[And] - Quanta rasgação de seda, hein?
[Bry] - Hahahahaha!

[Ma] - Bom, como professores e alunos ainda se despedem, eu vou ao meu quarto.
[And] - Malu, eu também vou.
[Biert.] - Preciso pegar algumas das minhas coisas para a minha próxima viagem. Mas não irei embora sem me despedir de você, meu irmão.
[B.W.] - Tudo bem... Eu logo os alcanço.

[Mi] - Bryan, antes de irmos, quero falar com o mestre a sós.
[Bry] - Tudo bem. Eu vou em passos lentos.

[B.W.] - O que foi?
[Mi] - Estou preparando a peregrinação de Bryan, após o casamento...
[B.W.] - Sim?
[Mi] - Confesso que sinto medo por ele, embora ele esteja crescendo rapidamente. Devo deixá-lo seguir sozinho?
[B.W.] - Hehehe... uma preocupação natural, minha querida. Eu devo dizer... faça alguns testes com ele. E depois, parta com ele, se for o caso. Eu mesmo fiz a sua peregrinação, lembra?
[Mi] - E a sua?
[B.W.] - A minha, assim como a de Bryan, será após meu casamento.
[Mi] - Mestre, o senhor...
[B.W.] - Estou ficando velho. E sinto que preciso que alguém seja a testemunha de minha existência...
[Mi] - E essa é a Malu?
[B.W.] - Não acha perigoso Bryan seguir sozinho até Carlin?
[Mi] - É mesmo!

Milla me abraçou às pressas.
[Mi] - Adeus, mestre. Mas não moraremos em Carlin, mas sim em Ab'Dendriel! Venha nos ver lá!
[B.W.] - Tudo bem! Eu escreverei a você assim que puder.

Acenamos um ao outro. E voltei ao meu alojamento. Abri a porta de meu quarto e lá estava Biertrus, calçando novamente suas botas, empunhando um escudo e... finalmente percebendo minha chegada.

- Não vá pensar, meu irmão, que eu recuso esse luxuoso quarto. Mas eu prefiro a vida mais livre que a sua...
- Ah, meu jovem irmão... eu o amo e o deixo livre para que tome as suas escolhas.
- Eu vou ver a Rainha de Carlin! Quero consagrar-me como defensor de Carlin!
- Fale baixo! Não quero que os conservadores nos ouçam, Biertrus! Carlin e Venore já foram inimigas. Não leu os livros de história tibiana?
- Não tenho paixão por leituras, mano.
- Fique até amanhã! Podemos tomar um bom café juntos!
- Não sei se quero isso... vou me acostumar mal com cobertores quentes e lençóis limpos.
- Hahahaha, não diga isso! Eu mesmo jamais me acostumei.

Deitamos cada qual em sua cama.
- Bierum, como você lutava antes de conhecer a magia?
- Mais ou menos como lutava Bierdus... espadas, escudos e um saco nas costas. Foi nesse estilo de luta que Andrezinho e eu vencemos a Fera de Venore.
- Ela havia renascido, mas Bierdus e Alys a mataram novamente.
- Estou surpreso por isso. Provavelmente essa seja a punição pelos pecados dos moradores da Ilha de Rookgard.
- Não tinha pensado nisso... Biertrus, qual será o futuro de Alys, se ela não deixa Rookgard?
- Vai se tornar uma professora velha, oras...
-  Hehehe... e quanto ao seu futuro?
- Eu acho que vou me casar e ter filhos gordinhos.
- E quanto aos seus poderes? Está satisfeito?
- Eu vou expandí-los até o limite.
- Eu serei o paladino mais forte de Carlin!
- Acredito...
- Acho que você precisa dormir.
- Quero, sim. Boa noite, bravo paladino.
- Boa noite, futuro velho mago!

Mas assim que Biertrus adormeceu, decidi bater à porta do quarto de Malu. Eu a convidei para subir a sacada do alojamento. Lá, recitei alguns poemas a ela:

"Que os seus olhos continuem iluminando a minha existencia.
Assim como o Sol ilumina Nebula
Com um carinho intocável
Mas infinitamente belo
Um carinho eternamente desejável
Que é a razão que eu mais zelo."

Ela apenas sorria. Mas senti que seus olhos estavam cansados. Beijei sua testa. Ela ergueu sua cabeça para que meu beijo alcançasse o seu. Voltamos para nossas camas. Um longo dia nos aguardava. E eu aguardarei por você também, meu amigo!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Que lugar estranho...

Aqui vai uma lista de lugares realmente estranhos de se dizer "Eu já fui."

Lugar pra quem não tem dinheiro...


Cidade com uma fundadora pouco querida...

Lugar pra onde vc mandaria seu chefe...


Lugar pra onde mandamos os argentinos.


A capital dos motéis...

E esta placa aqui não é referente a um local, mas eu gostaria de evitar mesmo assim...


Vc passaria por cima?

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Fail nas Crônicas... de novo?

Morar sozinho tá foda, pessoal.
A Crônica não ficou pronta. O estoque acabou de novo.
Exepcionalmente (e espero que isso não se torne um hábito), a crônica sai pra essa semana mesmo, não na segunda, devido a alguns compromissos urgentes (isso inclui a Gincana Municipal, a louça pra lavar, a roupa pra estender, etc...)

Também não to legal, porque algumas dessas tarefas não foram gratificantes... Mas não quero que depressão nenhuma venha a estragar este blog.

(Sim, isso e muitas outras coisas estragaram meu bom humor.)

Prometo as Crônicas pra esta semana. E, quem sabe a postagem sobre o AnimeRS que estourou nesse fim de semana.

Um abraço pra quem fica. Vou tentar dormir agora.
Foda, viu? ¬¬

Freetalk-Ed.1-Gabriel Version

What's up guys \o

Resolvi criar o freetalk...claro que alguém pode ter criado primeiro...mas como não achei em nenhum blog que acompanho...então fuck .-.
Antes de postar o Bier já tinha acabado com a graça do negocio ;x

Bem leitores(Se alguém ainda lê alguma coisa no blog).
Cada dia que der, tentarei comentar alguma bobagem ou novidade e pans.
Parece tosco, mas creio eu que será interessante.

Irei começar falando de games.
Sou viciado por eles, desde quando tinha uns 3 anos já jogava no pc feito louco ;x
Era Tomb Raider, Doom, Worms; mas por fim o meu favorito foi o grande...Duke Nukem. Alguém conhece?
Aquele jogo realmente era incrivel. Passava horas jogando na mesma fase e morrendo, voltando, morrendo de novo...mas enfim era legal d+ *-*'
Dae o tempo foi passando, jogos novos, computadores novos, até conseguir o meu ex-antigo e precioso play2...pena que o vendi, ainda sinto falta de passar noites em claro jogando DBZ: Budokai Tenkaichi 3.
Mas então...dae venho outros VG's, mas para ser sincero o mais divertido, realmente foi o Nintendo DS.
Bem falei da vida pessoal aqui, mas gostaria de recomendar esse portatil, você vicia rapido nos jogos e também é claro, tem jogos melhores do que muitos. Não pelos graficos é claro, mas sim pela historia e jogabilidade rs
O meu vicio no momento é o jogo EBA(Elite Beat Agents) um joguinho de ritimo, super animado, com musicas old's, mas no fim você acaba se prendendo ;x
Outra coisa legal de ter um Ds é poder jogar pokemon com seus amiguenhos que tem o portatil é claro, Neco apanhou para meu starvia ;x.

Claro que não posso me esquecer dos animes.
Dei uma grande parada nesse tipo de coisa mesmo, o ultimo que olhei foi o Moon Princess( adaptação do jogo "Tsukihime"), realmente não gostei, poderia ser bem melhor. Os unicos animes que eu pesso para os outros assistirem são os seguintes: KARAS, Tengen Toppa Gurren Lagann, Macademi Wasshoi e Code Geass. Na minha opnião, são os melhores, claro que tem outros, mas esses são os que mais recomendo.

Falando agora sobre o blog, o que vocês estão achando dele?
O chef gosta das coisas serias por aqui ;x
Principalmente nos dias em questão ;x
Tudo tem que ser feito corretamente, as definições tem que ter um padrão, as postagens tem que ter um padrão, as historinhas do paint-online não aguento mais...digo são feitas com o maior cuidado, claro para vocês leitores curtirem.
Tanto eu quanto o Chef, gostamos de saber a opnião de vocês sobre as coisas, mesmo que eu ande por baixo dos panos ;x, se as postagens estão agradaveis, se querem podcast e afins.
O nosso tempo é realmente corrido, tentamos manter as postagens cada uma em seu dia definido.

Logo terá o Anime RS, e se possivel, faremos uma analise legal sobre o evento ;]


Anyway, até mais pessoal, que o fail..digo a força esteja com você e lembre-se "Se uma coisa existir, há pornografia dela. Sem exceções.- Regra 34""Não importa o que acontecer, você jamais ira morrer sozinho"-Shiba Kaien.


"Nobody gonna take my car, I'm gonna race it to the ground"-♪

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Mindfucks!

Bem, andei falando com o Tio Bier e pedi para ele deixar as sextas, eu postar um mindfuck( pra quem não sabe...são aquelas fotos que fazem você cagar tijolos rs) ;x
Quem conseguir descobrir o que á na imagem...pode postar um comentario..para ajudar os leitores burros que não conseguem entender a foto.

Tantantan...aqui vai a primeira.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Definições.

Damned vader!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

As Crônicas Tibianas - Cap. 38

A Luta contra a Aranha Gigante

Eu esperava que Malu pudesse me socorrer, mas ela estava imóvel. Milla era segurada por Bryan, sendo que ele dizia para fugirmos todos. E eu até hoje compreendo o pânico dele. Minhas pernas tremiam com a visão da Aranha Gigante partindo ao ataque em direção a Andrezinho.

Tudo acontecia muito rápido. Eu ouvia Bryan insistindo para que Milla corresse:
- Aquele cavaleiro vai morrer! E nós também!
- Então vamos ajudá-lo! - ela dizia.
- Não! O que eu farei se você morrer?

Depois ouvi Biertrus gritando:
- Aguente firme, Andrezinho! - Ouvi um barulho como "Clict" - Vou disparar meus dardos mais pesados!
E de fato, o primeiro dardo acertou a face da Aranha Gigante. Mas a criatura continuava atacando Andrezinho, que aparava suas investidas com seu escudo e tentava um bom contra-golpe.

Finalmente eu consegui tomar uma posição, como quem desperta de um transe.
- Malu, fuja com Bryan e Milla!
- E você?
- Eu vou pensar em alguma coisa. Mas, caso falharmos, alguém precisa acender as velas dos que ficam.
- Não diga isso!
- Vá! - Entreguei-lhe a mochila com ouro.- O sucesso desta caçada poderá ser calculado pelos sobreviventes.

Biertrus continuava atirando sem cessar. Eu me aproximei da luta de Andrezinho, mais guiado pelo medo de perdê-lo em  luta do que pelo anseio em vencer. Andrezinho decidiu usar a espada nas patas da Aranha Gigante que a sustentavam, ao invés de usar naquelas que o atacavam.

A Aranha atacou com as duas dianteiras ao mesmo tempo. Andrezinho aparou a primeira com seu escudo, Biertrus acertou a segunda com um dardo. Mas não esperávamos um ataque com a boca. Ela acertou a perna de Andrezinho, praticamente de raspão, resultando num corte verde que atravessou sua calça-armadura. Não sabíamos se a mancha verde era sangue de aranha ou veneno no corpo de Andrezinho.

A agilidade de Andrezinho, no entanto, se comprometeu. E eu temia que não pudesse atacar a Aranha sem ferir Andrezinho. Ele insistia:
- A Onda de Fogo! Rápido!

Apontei meu Cajado de Energia Cósmica e disparei. Mas a Aranha quase não sentiu o ataque. Entendi que ela usava as patas como aterramento da energia. A descarga era reduzida em mais de 80%. Finalmente Andrezinho passou por baixo da Aranha, ela abaixou a cabeça e desferi uma Onda de Fogo. Ela reergueu a cabeça e preparou um bote em minha direção. Mais um dardo de Biertrus a acertou em um dos olhos.

A Aranha Gigante deu mais um passo à frente e... desabou aos poucos. Suas pernas se encolheram e ela tombou para a esquerda. Seu corpo virou-se lentamente de barriga para cima. E quando essa volta se completou, vi Andrezinho com sua espada erguida para cima, coberto de sangue verde e com os olhos fechados, tossindo. Ele estivera embaixo dela quando Biertrus e eu atacamos.

Malu, Bryan e Milla voltaram. Biertrus deu um antídoto para Andrezinho. Felizes pela vitória, decidimos regressar. Biertrus, porém, voltou até o corpo da Aranha Gigante e começou a recolher seu sangue em uma garrafa.
- Já vi uma flecha com veneno antes. Com veneno dessas Aranhas Gigantes, o poder de dano deve ser bem maior.

Recomeçamos a caminhada. A luta contra a Aranha Gigante havia tomado nossa manhã, e naquelas alturas do dia, o sol da tarde ficou forte. Subimos ao templo para que pudéssemos comer algo e nos prepararmos para uma longa tarde. Entretanto, Andrezinho estava cansado. Havíamos juntado ouro suficiente dos Cyclopes. E, considerando que nossas forças estavam gastas e os dardos de Biertrus estavam se esgotando, decidimos voltar.

Cyclopes enfurecidos com nossa caravana tentaram interromper nosso caminho, mas o repouso compensou. Milla, Bryan, Andrezinho, Biertrus e eu ainda tínhamos vontade. Esse foi o segredo da vitória e de nosso retorno em segurança.

Nossa chegada em Venore foi sob o por-do-sol tibiano. Antes de descansar, nos despedimos, mas isso eu lhe contarei, meu amigo, assim que descansarmos.

domingo, 15 de agosto de 2010

Notícia especial sobre as Crônicas Tibianas!

O 50º capítulo das crônicas tibianas será postado em edição especial!

Essa edição especial poderá ser desenvolvida de quatro maneiras:

1 - com algumas imagens do jogo ou referentes a algum episódio;

ou

2 - comentada pelo autor (me achei);

ou

3 - um especial com perguntas feitas pelos leitores (e é aí que vocês entram);

ou

4 - as opções 1, 2 e 3 ao mesmo tempo.

Se vocês foram favoráveis ao item 3 ou ao 4, podem deixar perguntas no campo de comentários,

ou no meu form:

 http://www.formspring.me/robertobier

ou no MSN:
caos_hunter@hotmail.com

ou ainda no e-mail:
robertobier@gmail.com

Essa participação de vocês tornara esse especial bem mais que especial!

Farei uma enquete que durará até o cap. 45 sobre qual ramo se sairá essa postagem. Participe!

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Olha quem está falando...



E contando vantagem...


(Valeu,Grazi!)

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Definições

Se eu fosse você, desconfiaria dos inocentes bichinhos...



Ele nunca me enganou!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

As Crônicas Tibianas - Cap. 37

Um inesperado oponente

Na manhã que seguia nossa aventura, Cyclopes cercavam nosso acampamento, mas não haviam se dado conta de nossa presença. A quantidade desses oponentes gigantescos era formidável. Tivemos de esperar uma boa brecha de tempo para um combate ao qual fôssemos páreo.

Resolvemos contornar o monte rochoso onde acampáramos a fim de encontrar outra saída. E descobrimos que a rocha que habitamos era um pequeno coliseu de sacrifício drúidico antigo, no qual jogavam os subjulgados aos escorpiões. Isso sabíamos Andrezinho e eu, e comentamos isso em particular. Não queríamos o pânico do resto do grupo.

"Isso pode dar azar" - foi minha última telepatia a Andrezinho, que me devolveu apenas "Sorte e azar não passam de crenças."

Três Cyclopes nos encontraram. Mas esse foi seu último achado. Grazi e eu os cegamos com fogo, Andrezinho e Malú bloquearam suas investidas, Bryan e Milla tinham cajados com fogo e Biertrus atirou-lhes dardos mortíferos.

Alguns Cyclopes acordavam e partiam para um combate que já havia perdido a emoção. Mesmo que tentassem nos cercar, Biertrus já os enfraquecia de longe e éramos quatro magos e dois cavaleiros. Seguimos ao Sul e avistamos o templo.

Subimos as escadas do templo e lá estava o monge. Corria de um lado ao outro. Nós seis o cercamos.
- Bom dia, monge! - Falei em tom alto.
- Não, não... a humanidade está perdida! Esse é um péssimo dia. Nunca mais haverá dias bons! - foi sua resposta.
- Viemos ajudá-lo! - Disse Malu.
- Ninguém pode ajudar! O fim dos dias está próximo!
- Venha com a gente até a civilização. - Tentou Grazi.
- Não existem mais civilizações! As barbaridades do mundo e seus pecados tornaram a ordem como apenas uma ilusão.

Milla e Bryan apenas se olharam. Andrezinho apontou o dedo para o altar do Templo e disse:
- Encontrei uma explicação!
- Do que está falando? - Perguntei.
- Aquele livro foi a única companhia dele... por isso ele virou um lunático.

(Se me permite fazer uma observação, quando Andrezinho disse "Aquele livro", referiu-se à Tiblia, o livro da criação e destruição do mundo para os Tibianos. E não só os tibianos, mas pessoas de todo o nosso mundo contemplam essa obra, sabe-se lá por quem escrita. O que doía em mim e provavelmente em Andrezinho é que é um livro que pode ser usado para o benefício do portador sacrificando aqueles que crêem. E desses charlatões é que Andrezinho tinha ódio. Além disso, Andrezinho acreditava que os deuses eram inúteis.)

Tomei uma decisão:
- Então nós...
- ...o deixaremos. - respondeu uma oitava voz. Nossos olhares voltaram para o novo visitante do templo. E exclamei quando o reconheci:
- Sagal! O que você faz aqui?
- Eu consultei o vento inúmeras vezes e finalmente encontrei minha esposa. E meus amigos.
Foi aí que me dei conta do atropelo que estava cometendo, e apresentei Bryan e Milla a Sagal.

Grazi protestou que não havíamos encontrado ainda um Dragão, ao qual ela deveria treinar. Mas Sagal argumentou que precisava do auxílio dela na luta contra os Dragões do Lar dos Dragões. Eu disse que a decisão cabia a ela, mas o grupo sobreviveria a perda, não sem sofrimento.

Damos um sétimo do dinheiro conquistado a Grazi. Sagal ainda nos advertiu de que o período de procriação das Aranhas Gigantes estava perto, e elas geralmente usavam as Planícies do Sofrimento para isso.  O monge começou a dizer que os mortos levantariam das sepulturas e que aqueles que morreram, porém prudentemente preferimos não dar-lhe atenção.

Deixamos o templo mais uma vez com o monge. Grazi e Sagal haviam saído antes de nós. Começamos a rumar ao norte. Com poucos passos, reparamos ao longe dois guerreiros-esqueletos seguindo nosso grupo.  Andrezinho disse a Biertrus para poupar dardos e desceu até lá. Eu o segui e vencemos com muita facilidade os adversários.

Nossa vitória, no entanto, não teve tempo para ser comemorada. Andrezinho e eu voltávamos ao grupo, quando o céu acima de nós escureceu repentinamente. Ao longe, vi Bryan segurando Milla pela capa. E Malu parecia apavorada.

- Cuidado, Bierum! - Gritou Andrezinho. - Estamos sendo atacados... - E finalmente não o ouvi. Senti uma forte dor no peito e me senti empurrado para longe. Abri meus olhos sobre os pés de Biertrus, que gritou:
- Ataque de Aranha Gigante!

E o que aconteceu depois disso, meu amigo, contarei-lhe assim que descansarmos. Foi uma das batalhas mais incríveis que meus olhos já viram.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Definições


Se não fosse tão fácil, eu daria um bombom pra quem acertasse...

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

As Crônicas Tibianas - Cap. 36

O grande saque

- Sou eu quem lhes deve agradecimentos.- cumprimentei - Mas jamais imaginava que vocês pudessem estar aqui.
- É que eu e o Bryan precisamos juntar muito dinheiro. - Explicou Milla.
- E achamos que daríamos conta, mas os Cyclopes nos emboscaram e estavam se divertindo às nossas custas. - Continuava Bryan - Como você conseguiu chamá-los, senhor Bierum?
- Isso foi por intermédio de um dardo disparado por meu irmão Biertrus.

Malu, Andrezinho, Grazi e Biertrus chegaram. Nos reunimos em torno da fogueira dos Cyclopes, damos comida aos dois novos integrantes do grupo. Milla me pediu para conversarmos a sós. Eu aceitei. Subimos em uma rocha e conversamos.

- Mestre Bierum... você se lembra quando eu disse que Bryan era corajoso?
- Perfeitamente.
- Imagine que estávamos numa luta contra os Globlins do Monte de Carlin, quando, de uma abertura do Monte, saiu um Dragão, e o pobre Bryan atirou-se contra sua labareda para que eu fugisse...
- E você acendeu uma vela para que ele voltasse, não?
- Sim... e estou juntando dinheiro para que ele se case comigo.
- Hum...
- Mas não quero me casar com ele sem a sua aprovação.
- Hehehe... não seja tola. Eu não interfiro no seu desejo.

- Na verdade, ele quem me pediu. Disse que queria me proteger para sempre. E eu gostei...
- Se é a vontade dos dois, não vejo problemas. Mas por que logo a minha permissão?
- Além de um mestre, você sempre foi um pai para mim. Meus pais vivem em Rookgard e não planejam me ver tão cedo.
- Oh, minha querida... - e cocei a barba, que já estava crescendo - ...se é de minha aprovação que precisam, vão em frente.
- Obrigada, mestre.
- Não me agradeça. Mas eu não sou mais seu mestre. Nós somos como magos irmãos.

- E por que vocês estão aqui no Vale dos Cyclopes? E por que tantos estão com você?
- Bom, é que a Grazi e eu queremos matar um Dragão que os Cyclopes escondem. Além disso, preciso do dinheiro para o aluguel e para...
Um grito interrompeu nossa conversa.

Descemos a rocha rapidamente.
[Gra] - Bierum, rápido! Um grupo de Minotauros passou pelo acampamento e levou nossas mochilas!
[B.W] - Onde estão os outros?
[Gra] - Malu e Bryan foi para o leste, atrás de uma parte do bando. Andrezinho foi para o norte.
[B.W.] - Ok, eu vou atrás dele. Uma de vocês fica aqui. A outra ajudará os outros!

E corri para o norte da planície. Cascos faziam um sutil rastro. Eu consegui segui-los. Em uma clareira entre arbustos, vários Minotauros. Alguns me lembravam a lendária fera de Rookgard. Outros carregavam Cajados Drúidicos. E dois deles tinha bestas nas mãos e bolsas com dardos nas costas. Mas onde estava Andrezinho?

Não demorei muito para entender o que se passava. Andrezinho devolveu na mesma moeda o que os Minotauros nos deram, ou melhor, tiraram: Pegou duas das mochilas que haviam sido por eles roubadas. Andrezinho agora corria deles, em uma cena que poderia ser até engraçada, se não me fosse tão preocupante. Vencer os Minotauros pelas costas não foi difícil. Porém, os Minotauros Arqueiros atiraram em uma perna de Andrezinho e o imobilizaram. Ver Andrezinho cair me descarregou pura adrenalina contra os dois. Corri em direção a eles e desferi uma onda de choque, magia que eu não havia dominado direito, mas que os mandou para o outro mundo instantaneamente.

Abri os corpos dos saqueadores e encontrei nossas fortunas em sacos. Andrezinho sangrava pela perna ferida. Eu dei-lhe uma poção de cura e ele conseguiu se recompor.
[And.] - Bierum, talvez eu conseguisse com eles, se eu tivesse mais tempo para uma estratégia. Mesmo assim, agradeço por você ter vindo.
[B.W.] - Você venceria, sem dúvidas. Mas que tipo de amigo eu seria se deixasse você carregar esse fardo sozinho?
[And.] - Vamos voltar?

O caminho até o acampamento foi tranquilo. A noite chegou e todos nos esperavam em torno da fogueira. Por segurança, subimos um rochedo e preparamos para dormir às escondidas, sem que os Cyclopes desconfiassem de nossa presença. Montamos horários de sentinela, revesando entre duplas os membros do grupo.

Nosso sono foi, de um modo geral, muito tranquilo. Assim como você deve estar necessitando por agora. Durma, meu amigo. Amanhã, contarei-lhe as modificações que o grupo precisou sofrer. Uma fantástica luta nos aguardava.