domingo, 29 de janeiro de 2017

Furi - PS4 - Parte 2

Lembram do simpático carcereiro?
No episódio anterior:
  • Bier perdeu todo o senso de "Eu lírico", vezes chamando o samurai sem nome de "você", outras vezes de "eu".
  • Luzes de Neon e psicodelia não foram suficientes para piorar minha deficiência mental o meu caso.
  • Um monge com um simpático capacete de coelho, que eu decidi chamar de Kuma.
Agora:

O samurai sem nome, que de agora em diante eu vou oficialmente chamar de Samurai Bier, por motivos de "o blog é meu", "a história é minha" e "não gostou, tô nem aí", continua sua saga no mundo que faria o próprio Mágico de Óz cagar tijolos dourados.

Verinha... sempre simpática.
O monge coelho estava feliz. É possível que Kuma esperasse minha morte na épica nas mãos de Verinha (que venci graças a uma técnica secreta dos 25 mil continues), e talvez eu tenha superado suas expectativas. Ali estávamos nós... o herói e o monge que agia igual ao Mestre dos Magos...

O sábio cabeça de coelho (e não me perguntem porque eu o chamo de sábio) contou-me então que, para continuarmos nossa fuga, eu precisaria derrotar o Monge do Tempo. Em uma redoma completamente manipulável por ele. Não foi bem esse o diálogo, mas poderia ter sido algo como:

- Um guerreiro com as suas qualidades não terá dificuldades em enfrentar o Monge do Tempo. Ele vigia uma das saídas desta prisão, e com seu poder, pode desfazer fatos, desde que dentro de sua redoma...
- Na boa, tio Kuma, não podemos ir por um outro caminho?
- Não.

domingo, 22 de janeiro de 2017

11 sub-chefes cretinos dos jogos de luta.

"O melhor aço deve passar pelo pior fogo." - Acho que foi mais ou menos assim que o John Tobias respondeu a uma pergunta a respeito de colocar o poderoso Goro a proteger o caquético Shang Tsung. Acho que a pergunta era "Por que diabos você fez Goro tão foda e o Shang Tsung (com a saúde um pouco pior que o Dr. Chapatin) tão pouco poderoso."

O fato é que muitas vezes o sub-chefe não é apenas uma demonstração do que está por vir, mas ele é melhor que o chefe titular. Convido vocês a ponderarem a participação lafanhuda de alguns deles.

Shiva - Streets of Rage
Por que não começamos com um ícone dos jogos de briga de rua? Shiva não começou bem. Em Streets of Rage 1 ele é só uma classe, não um personagem, assim como o Galsia e o Donovan. Mas no Streets of Rage, ele foi promovido a sub-chefe, no papel de guarda-costas de Mr.X.
Cara, vou te contar, Mr.X. pode ser mais alto, mais bem-vestido, mais armado e muito mais bigodudo, mas acredito que ele levaria uma bela coça do Shiva, que é um artista marcial confiante e habilidoso, que fica no lado direito de seu chefe aguardando ansiosamente pela chance de sair em um contra SOZINHO com você e seu amigo. Espero que vocês tenham poupado pelo menos um continue, porque vão precisar, quando ele mostrar o que alguns anos de treinamento marcial fazem com um nipônico americanizado (e feio de doer) do mundo do crime.


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Ham... River...


Tem certeza do que você falou?!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Essa doeu!


Que maldade Amy!!! Coitado do Doctor!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Quando alguém nem dá tempo pro Jack...


É Donna deixa Harknes em paz!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Retrospectiva 2016


Conseguimos, pessoal!
Matamos 2016. Sobrevivemos 2016. Podemos contar aos nosso netos que passamos por um ano simplesmente foda!

No blog não foi diferente!

Janeiro foi um mês artístico:


Teve poemas, crítica, pintura, música, homenagens...