domingo, 30 de novembro de 2014

Parabéns, Gabriel!

Já usei essa tirinha antes, mas o Gabriel merece!

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A história que não houve

- Acho muito bom o que você escreveu na oficina de redação.
- Obrigado. Sabe, a gente vai assistir Kick-Ass depois da aula, amanhã. Você pode ir com a gente.
- Mesmo? Eu estou louca pra ver esse filme. Vou com vocês, sim.

- Não tem nada melhor que filme de super-heróis...
- Ah, tem umas ideologias machistas, mas tenho de admitir que é um filme bom.
- Você quer que eu te leve pra casa?

- É melhor meu pai não saber. É que eu tenho só 16.
- O quê? 16? Pelo menos é alguém que gosta do meu texto.
- Mas sabe, eu gostei de tudo hoje. Obrigada pela sua companhia!
- Então apertamos as mãos?
- Isso!

- ...mas eu não queria que você fosse embora sem o meu beijo!


- Cara, o problema é que ela só tem 16.
- E você tem 19, qual o problema?

- Olha, você pode fazer uma cópia pra mim daquele seu poema?
- Claro. A gente quer comer pizza na sexta, mas eu acho que você...
- Eu quero ir também! Posso?
- Claro.

- Bem. Aqui está você. Sã e salva.
- Obrigada! Me diverti muito!
- Toca aqui!
- Claro! Foi divertido!

- Eu não queria ver aquela porta fechar, sem ter recebido o teu beijo.

- Sabe... na quarta-feira da semana que vem eu faço 17.
- Puxa, que legal!
- Queria muito sair com a turma, mas sou tímida. Você poderia convidar eles... pra a gente sair?
- Claro.
- E depois você me leva pra casa?

- Prontinho, moça. Aqui está você.
- "Sã e salva", eu sei.
- Você parece irritada.
- É que não ganhei meu presente ainda...


- Cara, você beijou ela?
- Sim...
- E ela não tem só 17 recém-feitos?
- Sim...
- Então porquê?
- Por que eu entendi o que ela estava me dizendo o tempo todo.
- E o que ela estava dizendo?
- Que não importa o quanto o tempo passe, ela estará comigo.

sábado, 22 de novembro de 2014

Poesia em Bleach #5


Algo que eu gostava muito no blog era os poemas do Bleach, que o chefão Bier postava, a vida é "loka" e não é fácil, então como eu tenho quase completo até a ultima edição(Agradeço a Bleach Project, por dar os poemas que não possuo), trago a vocês do 41 ao 50, os grandes poemas de Tite Kubo(não é ao quadrado).

Vol. 41 - The Heart.
"Recuperar o que foi perdido;
Sangue, carne, ossos, e algo a mais."

Vol. 42 - Shock of the Queen
"Não há mundo sem sacrificios;
Não tem consciência disto?;
Estamos em um mar de sangue, com cinzas flutuando sobre o inferno;
Clamando o nome de um mundo decadente."

Vol. 43 - Kingdom of Hollows
"A decadência é nossa companhia;
assim como a noite é nosso servo;
Enquanto os corvos se alimentam deste corpo pútrido;
eu lhe espero no castelo, na floresta de Olmeiros."

Vol. 44 - Vice It
"O homem possui, acima de tudo, o mal…
Para viver na ilusão que a sua justiça é a correta, o homem tende a acusar a justiça do próximo de ser mais maléfica que a sua;
Ter certeza de sua própria justiça é maléfico;
Para obter a real justiça é necessário, constantemente, duvidar de sua própria justiça"

Vol. 45 - The Burnout Inferno(Um dos melhores)
"Você pode viver toda a sua vida de joelhos;
mas no momento de sua morte, precisa estar de pé."

Vol. 46 - Back from Blind
"O assustador não é conhecer a inevitável tristeza
O medo se esconde em saber que a felicidade perdida nunca mais irá retornar."

Vol. 47 - End of the Chrysalis Age
"Se amanhã você se tornasse uma cobra
E começasse a devorar humanos
e da mesma boca da qual você os devora
você falasse para mim, “Eu te amo”
Poderia eu também dizer “Eu te amo”
da mesma forma que eu digo hoje?"

Vol. 48 - God is DEAD
"人は皆、猿のまがいもの"
"Humanos não passam de macacos;
"神は皆、人のまがいもの"
Deuses não passam de humanos"

Vol. 49 - The Lost Agent
"Me pergunto se eu poderei acompanhar a velocidade;
de um mundo em que você não está."

Vol. 50 - The Six Fullbringers
"O tempo sempre nos pega por trás;
erguendo um rugido diante de nossos olhos, que nos engole em sua maré;
Vamos deter seus passos!;
O tempo irá engolí-lo para um belo passado;
e assim moldar suas presas;
Não olhe à sua frente!;
Suas esperanças somente o fazem se aproximar mais;
da escura e turva corrente."
--------------
Ai estão os 9 poemas do 41 ao 50, como a gente fazia antigamente. (Bem antigamente, me sinto um velho já.)
Mês que vêm tem mais, meus lindos!

Paperman

Faz um tempinho que eu não dou a merecida atenção a este blog.
Lembro que todo o fim de semana tinha um videozinho ou um curta só pra vocês não perderem o hábito de vir pra cá.

Como quero que todos esses novos tempos voltem, pedi uma ajuda pro velho Walt Disney. Ele fez uns rabiscos em um guardanapo e disse: "Pega isso aqui. Bota no media player."

E, com vocês: Paperman!


(Parênteses)
(Obrigado, Vivian! Fiel leitora, mesmo com pouco tempo sempre apoiou este blog como um grande projeto.  este vídeo foi dica sua. Valeu!)

(Se mais alguém tem saudades dos velhos tempos... manda notícias! Eu to com saudades de todos vocês!)

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Doces sonhos.

Doces sonhos;
Não tem como negar;
São rubis feitos de açucar;
Que vão embora num piscar;

Enquanto uns governam o mundo;
Alguns só querem ser jovens;
Sabendo que cada dia a mais;
É um dia a menos de alegria;


Você lapida diamantes;
Pensando que como eles;
Será eterno;
Doces sonhos são feitos disso;

Olhando as estrelas;
A musica que toca para os loucos;
Eu queria viver para sempre;
Para nunca mais escutar a melodia da morte.

Gabriel.
---------------

sábado, 8 de novembro de 2014

Tem alguém jogando GTA demais...



Ah, esses joguinhos educacionais...
Obrigado, Ah Negão pela ajuda a distribuir esse material.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Vivendo sem.

Tem dias que eu acordo;
5 segundos de paz;
Apenas um fio de luz;
Passa pelo véu da realidade;

E se eu apenas pensar;
Que posso arrumar um anjo;
Quanto tempo demoraria;
Para virar um demonio?;

Falo muito de coisas não ditas;
As sombras na sala são uma boa companhia;
Elas me fazem acreditar;
Que talvez eu esteja amando;
E todo dia eu acordo;
Meio-morto;
Apenas sonhando com anjos;
E vivendo sem eles.
Gabriel.
----------------------------------