terça-feira, 30 de maio de 2017

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Jogo



A incoerência dos meus pensamentos não me assombrava. Há anos isso não acontecia, meus estranhos sonhos e conclusões eram duvidas apenas para os que me amavam, ou que tentavam.
Os outros eram tantos que se fez desnecessário o uso de nomes, não se distingue os grãos numa massa. Assim como não são distintas as pessoas em uma multidão.

A vida passava e o enigma de sua teia me rodeava com o encanto de seus sombrios mistérios, a dança de suas cordas me excitava e impulsionava minha ligação com o universo enquanto mais uma vez me perguntava curiosa " Qual será meu próximo passo?"

Então ela novamente me enlaçava em suas cordas e jogos, e como uma mosca em panico eu agonizava pela liberdade inexistente, até que o ponto de mudar meu destino antes de ser consumida por ele que podia ser cada vez mais sentido.

Isso é o que muitas vezes diferencia as pessoas, umas agonizam e se matam aos poucos, outras apenas cortam as cordas. Muitas vezes quis cortar as cordas, brincar com o destino assim como ele brincou comigo frustra-lo por simplesmente jogar o tabuleiro para o ar e tacar fogo em suas cartas. Mas de alguma forma apenas não fazia. E nunca consegui decifrar o por que.

Talvez seja apenas a teimosia de uma criança, que queira acreditar que não perderá nunca. não a menos que admita a derrota.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

O furo da notícia: Jovem bêbado pega táxi de MS até PR



Conheça a saga de um herói!

Tá certo que às vezes a gente passa na dose da cachacinha, na cervejada, no vinhozinho... 

Mas tem vezes que a bebedeira nos ensina que o céu é o limite!

Sabe aquela ligação da madrugada que você faz pra sua ex?  Ou um whatsapp, um SMS bem-intencionado que termina em uma dor de cabeça no dia seguinte. 

Lucas Cruz nos provou que somos amadores.

A noite de Lucas, nos seus 21 aninhos de sabedoria, não só teve arrependimento como consequência; mas muito dinheiro a menos no bolso, preocupação da família e, de lambuja, memes na internet.

2 de abril. Show de Jorge e Mateus. A namorada enche o saco. E então nosso herói resolveu partir desse mundo, ou melhor, de seu mundo particular: Lucas vazou de Campo Grande (MS) e disse "Ah, fodam-se!" pra todo mundo... e disse "Toca pra Londrina" para o taxista.

Isso aí. O cara  vazou de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e foi desembarcar em Londrina, no Paraná. Esse magrão fez uma viagem de oito horas dentro do carro e arcou com um custo em torno de R$ 1500,00.

Na era do Uber? Acho que ele teria pago uns R$ 600,00...

A família se alvoroçou toda atrás do jovem desaparecido, que em pouco mais de 24 horas se manifestou para alegria desta.

Mas santa falta de chinela! Era o que me faltava. E o taxista se prestou ainda!

Fonte: Catraca Livre