sexta-feira, 29 de abril de 2016

Momento hipocrisia zero

Chamem-me de mau, mas prefiro ser sincero a portador da falsidade.

A menina de nariz empinado que nem me dava bom dia e ainda alegava ser explorada perdeu a vaga de emprego e ficou grávida. E os ex-orientadores querendo uma grande festa, um chá de bebê, em nome de tudo de bom que a menina fez. Minha presença? Muito longe disso. Já, a colega que vivia me espinafrando pelas costas finalmente conseguiu vaga na cidade onde queria. Essa festa de despedida sim, eu tive que ir.

terça-feira, 26 de abril de 2016

E-mail para a CipSoft

Sei que eu estava há muito tempo prometendo o envio de um pedido oficial à CipSoft solicitando autorização para a publicação das Crônicas Tibianas. Muito tempo? Cacetada! Eu estou há muitos anos esperando por uma oportunidade, por um momento de coragem, desde agosto de 2009. O caso é que eu tive medo de não ter mais perseverança para escrever (isso ainda em 2009). Medo de que o projeto morresse e eu, no auge do remorso, não conseguiria fazê-lo renascer das cinzas. Mas eu estava errado.

Tá certo que eu demorei para achar o fio da meada. Mas, as Crônicas estão aqui, com firmeza e força, perseverança! Então, ontem, chegou o fatídico dia. Tomei a dose extra de café e misturei a um pouco de ousadia. E ontem, a Cipsoft recebeu este e-mail (já traduzido do inglês):
" Olá, queridos amigos da CipSoft.

domingo, 24 de abril de 2016

Mundo

As pessoas andam.
Para onde?
Elas continuam.
Por que?
Avançam.
Para que?

O Mundo gira,
a rapidez me causa náuseas.
O mundo gira,
seu suor me faz vomitar.

Ele de alguma forma continua.
E fede a navio negreiro.
Fede cada vez mais.

As pessoas passam,
mais escravos no navio.
Números são fáceis de esquecer...

Seus rostos, debeis.
A falta de consciência me assusta.
Me enoja.
Apenas seguem.
Acorrentados em suas próprias realidades.

Me pergunto qual escolheria
se não olhasse através delas,
As vezes, encontro outro olhar em desespero
Mais um cúmplice que olha por cima de seus limites.

Não dura.
Nunca dura.
Logo a consciência se dissipa.
A dor é muito intensa.
A pior dor é sempre a da alma.

E assim tudo logo continua...





quinta-feira, 21 de abril de 2016

Sobre julgamentos...

O mundo...

É uma prisão se é isso que você deseja.
Para os ousados é uma aventura.
E para os vitimistas uma eterna tortura.

Um conselho para qualquer um,
e para todo mundo,
faça dele o que quiser.

Sem arrependimentos
do que se fez ou não fez.
Do ontem ou hoje.

A única coisa que podemos imaginar levar é nossa consciência.
então não se limite ao aceitável.
O absurdo de nossa existência já é inaceitável!

É fácil dizer o que eles querem.
É fácil viver como eles querem.
É fácil se moldar com o que querem.

Difícil é ser feliz assim!
Se permitam isso!
O único responsável por sua felicidade é você!
Isso é tão assustador quanto libertador!

Então faça suas próprias regras.
Escreva e reescreva sua história.
E que quando você olhar para tras,
seja com saudades e não vergonha,
de não ter tido a coragem suficiente de realizar  tudo o que queria!

terça-feira, 19 de abril de 2016

Os des-herois do mundo de fabula crystallis.

Comecei a jogar FF I a pouco, só que realmente os personagens não tem muita historia de fundo e não é aquele RPG muito profundo e tals.
Então resolvi fazer minha história, já que não tem, do jeito que deve ser.

sábado, 16 de abril de 2016

As Crônicas Tibianas - Cap. 75

Os Strikers

Coberto pela luz azulada, abri meus olhos e me encontrei em uma sala de pedra toda branca. À minha frente estava um baú e mais adiante, uma porta. Desta vez, eu estava sozinho e, obviamente, minha curiosidade me atentava a saber o conteúdo do baú. Ali tinha nada menos que cem moedas de platina! Uma quantia considerável, que rapidamente fez parte de minha bagagem.

Por fim, a porta. Ao abri-la, encontrei um corredor subterrâneo. Ao lado da câmera onde eu havia enriquecido, outras três câmaras idênticas, das quais saíram Bierdus, Biertrus e Bierfur, todos sorrindo, provavelmente com um resultado muito parecido com o meu.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Uma simples homenagem...

Olá humanoides! Oi pessoas! Já que o Google avisou que hoje (04/04) é o aniversário dele, e que ele é mais do que digno de homenagem (na verdade essa reles blogueira é que não é muito digna de fazer essa homenagem), vamos comemorar e homenagear esse grande ícone de importância indescritível na musica nacional com o que ele gostava de fazer, musica!




Nossa humilde seleção de musicas desse cara que você precisa ouvir!

Blues da Piedade


Alguns não deveriam escrever...





Quando contamos uma história mechemos com a mente, e nem sempre dá muito certo...
É uma pena que nunca viveremos tempo suficiente para lidar ou ver a consequência de nossas obras...

Pesquisando um pouco para um projeto grande sobre o qual pretendo depois falar aqui no blog eis que acho o livro "Utopia", um livro bastante antigo com um conceito que continua vivo na mente da humanidade.

Um conceito por sinal que teria recebido forma a partir desse livro.

Utopia um livro escrito por Thomas Moro em 1516 dá forma a um conceito ainda em formação na sociedade da época a utopia, palavra que o mesmo teria criado a partir de duas palavras em latim o adverbio de negação "u" e a palavra "topos" que significa lugar ou seja "não lugar" ou lugar não existente.

Qual é a relevância disso meus amigos?!

O Grande Assassinato


A humanidade se indigna e revolta em todas as culturas e línguas, em todos os mundos e tempos.
O assassinato é causador de revolta mas, nada torna o homem mais irredutível do que a morte da inocência.
Em todos os tempos a morte de uma criança é o pior e maior crime, o mais perverso ato.
A mente humana reflete isso de várias formas, seja através de religiões em que o salvador é condenado mesmo sendo inocente, ou através da ficção como na literatura fantástica em que a morte de um unicórnio (que é considerado a criatura mais pura e inocente do mundo) é considerada nas palavras de J.K. Rowling "a mais perversa maldade".
O homem dificilmente acata tal crueldade, o que cria como desfecho de muitos casos lixação pública do acusado.
Mas a que se deve a condenação tão universal de tal crime?

Li'l Bitch