sábado, 15 de outubro de 2016

Aos mestres, com carinho!

"A verdade é a verdade até o fim dos tempos!"
- William Shakespeare

 Eu estava aqui, preparando uma postagem sobre os professores da ficção, e me ocorreu que até os mestres têm mestres. E que faz muito tempo que eu tenho muuuuita coisa pra dizer sobre os meus professores. Você sabe, esses profissionais que dão o corpo e a alma ao aprendizado de crianças malcriadas que pintam e bordam horrores na sala de aula, comprometendo 30, 40 ou 50% da hora trabalhada e quase sem sucesso. Nossa, pessoas!

Você que está aqui, lendo este post no blog, possivelmente deve achar a minha opinião importante para alguma coisa. Ou talvez seja meu senso de humor que chame você até aqui. De toda a forma, se você discorda quando eu digo que o professor tem que ser respeitado SEMPRE, você não merece estar aqui! Sério, vá ler alguma polêmica do "Big Brother" ou de "A Fazenda", ou ainda qualquer coisa "produtiva" dessa extirpe. Mas vaza! O mundo nunca terá energúmenos suficientes, vá em frente.

Muito do que eu sou, eu devo a eles, os professores. E de hoje não passa! Eu vou publicar minha humilde homenagem a essa turma da qual eu jamais poderei compensar por tudo de bom que há dentro de mim!
Da minha infância:
 Confesso que não fui uma criança fácil! Fazia muita birra, era temperamental e, principalmente, chorão. Eleve essas qualidades ao cubo quando pensar em mim na escola. Em contrapartida, eu tive poucos amigos e quase não dividia meus conhecimentos nerds que ainda estavam engatinhando.Esses meus mestres tiveram que segurar a barra e me transformarem em cidadão... ou morreriam tentando!

Professora Rejane
Continuando a autoflagelação: Carácolis! Eu fui uma criança difícil: não gostava das aulas do jardim,fingia dormir nas aulas de canto, estava sempre mal-humorado, carrancudo, briguento... só o amor mesmo pra tolerar isso. E a profª. Rejane tinha de sobra! Profe, obrigado por toda a paciência que a senhora teve comigo. Levo comigo a ideia de me esforçar muito, agora que sou pai, e exercitar minha paciência. Amo-te, profe!



Professora Maria Salete
Tadinha! Minha professora na primeira série. Perdão, professora, por eu ter existido nessa época! Briguei muito com a senhora, mas eu jamais teria sido alfabetizado de forma mais divertida! Eu me arrependo horrores do meu comportamento! Que a senhora e o próprio Jesus Cristo, lá do céu, tenham piedade pelos meus erros! Obrigado, professora, especialmente por ter me aguentado!

Professora Lúcia
Meus sentimentos por essa professora talvez nunca tenham ficado muito claros. Foi outra que eu briguei muito, coisa da "pré-aborrecência". Mas preciso confessar que essa foi a primeira professora com a qual me imaginei casado. Claro, que a minha imagem de casamento naquela época era bem setentista, eu me imaginava fazendo sérias exigências a ela (influência do meu pai), mas sobretudo, era a primeira mulher que eu entendi como "de verdade". É claro que eu amadureci, cresci entendendo o que era platonismo, e a professora me levou da 5ª à 6ª séries dando-me aulas de Língua Portuguesa, Língua Inglesa e até Religião. Sem contar que, quando tive dificuldades com outros professores na Língua Inglesa, a profe Lucia me deu aulas particulares gratuitamente, porque, segundo ela, "não se pode desperdiçar" isso que eu tenho. Saiba disso, professora: se eu levei as minhas próprias aulas com seriedade e maturidade, foi tudo herança da senhora! Obrigado, professora Lúcia! Jamais esquecerei da senhora!

Professora Giselda
Professora Giselda me ensinou que alguns professores são os seres humanos mais descolados do planeta! Esqueça os hippies, os surfistas, e seja lá qual for a tribo que você considere cool! Professora Giselda dava aula de matemática, ou seja, aprendi frações, expoentes e raízes graças aos esforços dessa mulher. Nessa era de informação rápida, soube há pouco tempo que essa professora já não está mais conosco. Agora ela ensina matemática aos anjos. Pitágoras, se não foi pra onde eu imagino, deve estar muito feliz, também. Profe Giselda, aquela sua gaitinha de boca ainda ecoa na minha cabeça. Obrigado, professora, por ter me ensinado que o amor não pode ser medido!

Da minha adolescência:
Ah, a melhor fase da vida, né? Mas também tão assustador, tão confuso... é a melhor etapa da vida para se aprender com os erros! Eu nunca deixei de ser criança, mas também nunca deixei de ser adolescente!

Professora Cleusa Frezza
Essa foi outra grande professora minha, no campo da matemática e da estatística. E eu sei que fui uma grande pedra em seu sapato, muitas vezes. Para compensá-la, profe, saiba que o karma me devolveu isso em alguns alunos. Essa professora é amiga da minha família, e por muitas vezes cuidou de mim na ausência dos meus pais... como uma mãe. Cristo Rei, como eu me sinto ingrato pensando em todas as coisas que essa mulher teve de encarar por minha causa. Perdão, professora. Eu poderia ser uma pessoa mais fácil. E obrigado por não desistir de mim!


Professora Ilza Honorina
Essa foi minha quase professora. Com ela, eu aprendi valores familiares e a respeitar absolutamente o mundo inteiro! Muito do meu aprendizado se deve à observação. Meus primos, os filhos da tia Ilza, sempre cumprimentavam os mais velhos com as palavras "Senhor" e "Senhora". Essa polidez toda me dava inveja. Eu também queria ser assim. Passei a chamar minha mãe e minhas tias de "senhora" sempre. Aprendi a tirar o chapéu na frente dos mais velhos. E, principalmente, aprendi o respeito que tenho de ter com todas as pessoas. Não pensem que a tia Ilza era ranzinza ou turrona, longe disso. Mas ela era uma mãe dedicada, uma esposa exemplar e uma madrinha muito querida! Até hoje, meus primos torcem o nariz quando estou com ela, especialmente porque ela faz um cafezinho... Mmm... já volto!

Professora Leda Maria
Só lá na faculdade é que eu obtive conhecimentos para me sentir suficientemente bom em Matemática. Já, nos meus estudos no Ensino Fundamental e Médio, eu tive auxílio da Super-Professora-e-Tia Leda! Viramos algumas noites estudando Pitágoras, equações e logaritmos. Oh, tia Leda, obrigado! Nunca consegui retribuir à altura, mas o diploma não estaria na minha gaveta hoje se não fosse a senhora. Sim, é minha tia Leda e fez tudo o que fez por mim sem pedir nada em troca!

Professora Beatris Olívia
Eu tive muito orgulho de ter uma professora tão boa no meu caminho. Alguns de vocês conhecem ela como dona Bea. Outros, como "minha mãe". É, minha mãe me deu aulas de Redação e Língua Portuguesa em várias séries...a contar da sétima. Eu já conhecia a seriedade do trabalho dela, e como tudo que vem da minha mãe é sagrado (mas sagrado mesmo, com anjos tocando harpas e um coral junto a uma luz dourada provinda do céu), eu entendia que a profissão Professor era responsabilidade demais para mim. Precisava ser de ferro, igual a minha mãe, para que eu me tornasse um ser tão fantástico como ela. Mamãe foi minha inspiração a escrever, a compor, a analisar e, principalmente, a valorizar a leitura! Obrigado, professora Bea! Um beijão!

Professora Delma Helena
Essa foi uma das professoras mais lindas que eu quase tive. Essa também é minha tia, e houve para ela uns dois ou três fatídicos meses em que tive de morar em sua casa, na cidade de Novo Hamburgo. Nessa época, minha tia era o meu único contato com a sociedade. Do contrário, minha vida vida seria casa-ônibus-trem-trabalho-trem-ônibus-casa. Além de ser uma agradabilíssima companhia para minhas noites solitárias (que não tinham mais que uma hora e meia de úteis, depois eram de sono), tia Delma lia e revisava minhas postagens neste blog. Eu lembro que nas séries do Ensino Fundamental, a tia Delma dava algumas dicas, tipo quando usar Z e quando usar S, além de ler algumas das minhas redações, sempre na esperança de me tornar um escritor melhor. Obrigado, profe Delma. Sempre será uma inspiração para mim!
Professores: Ilza, Beatris, Roberto, Delma e Leda


Na vida adulta:
Ou apenas deixando a adolescência e me tornando adulto, sem largar a emoção juvenil... esses me ajudaram na formação desse monstro que vocês chamam de Roberto Bier..

Professor Arquimedes Aguiar
O nome é genial, né? Adivinhem só! O Professor Arquimedes manja de ironias biográficas: ele é professor de Matemática e Física! Antes dele, pra mim a Física era só uma desculpa para professores de exatas encherem o saco. Depois dele, todo o fenômeno, todo o movimento, toda a ação tinha outro brilho! Toda a soma, todo o ângulo, todo o cálculo elevava o meu saber. Quando eu perdi meu pai, o professor Arquimedes foi o primeiro a se abaixar na minha frente e me dar o maior abraço que meu pai nunca teve coragem de dar. Ele e o professor Paulo (que infelizmente não foi meu professor) foram simplesmente novos exemplos de pais pra mim! Me colocaram na linha de novo, me ajudaram a me centrar e voltar ao progresso pessoal, a evoluir espiritualmente e a jamais desistir de me auto-superar! Professor Arquimedes, obrigado por ter salvo este garoto! A sua lenda estará viva enquanto eu respirar!

Professora Eveli Seganfredo
Essa vai ser longa, mas... Um dia, finalmente eu saí da escola e parti rumo à faculdade! Lá eu encontrei muitos tipos de pessoa. Em busca de uma coisa que mais tarde eu chamaria de "vida adulta", acabei esquecendo dos meus propósitos profissionais. Talvez isso não faça sentido, mas o caso é que o jovem Roberto Bier estava profissionalmente perdido, ou seja, eu não sabia mais o que faria da minha vida. Então segui as aulas, em meio ao curso de Ciências Contábeis, pois a esperança da dona Bea era a de que seu filhote se tornasse Bacharel na área dos contadores. Eis que passou pela porta da sala de aula a Professora Eveli Saganfredo, vestindo roupas pretas, apagando um cigarro e jogando um copo plástico sujo de café na lixeira. Sim, foi amor à primeira vista. Toda a minha paixão pela Língua Portuguesa havia voltado! O meu amor por escrever também! Eu volte a fazer poemas, voltei a escrever histórias, voltei a jogar RPG e, finalmente, olhei para aquela mulher e disse a mim mesmo: "Eu quero ser assim!" Ah, professora Eveli! A senhora nem imagina o quanto contribuiu para mim! Se hoje estou satisfeito comigo mesmo, uma boa parcela disso é sua! Obrigado!

Professora Luciane Raupp
É claro que um dia a gente cansa, já que a vida na faculdade era uma correria só. Mesmo diante do cansaço, ocorreu que eu precisava continuar e, por isso, mergulhei nas aulas de Literatura aos sábados. Foi uma das melhores decisões que tomei na vida. Lá estava a professora Luciane, recheando minhas tardes com Erico Verissimo, com teoria literária do herói e do super-herói, ah, que época! Não posso dizer que fui um aluno exemplar, mas aquela chama de inspiração que a professora Eveli (texto anterior acima) havia me colocado foi novamente alimentada pela professora Luciane. Pra melhorar, eu me apaixonei, adotei filhos da minha (ex)amada, corri atrás de detalhes da formatura... que época. Ah, sim! Eu me formei e lembro-me de ter chorado feito uma menininha na formatura... um dos motivos, posso confessar agora: era porque eu não iria vê-la tão cedo novamente. Obrigado, professora Luciane! A senhora me provou que Fernando Pessoa estava certo: "Tudo vale a pena, se a alma não é pequena!"

Professor Luiz Haiml
Minha história com o Prof. Luiz é deveras interessante. Eu já estava lecionando quando o conheci, e não havia me dado conta do verdadeiro poço de conhecimento que se encontrava na forma humana, bem na minha frente. Eu não faço ideia de que impressão eu tenha causado, mas o professor começou a me falar de um projeto atrás do outro, eu simplesmente me apavorei com a quantidade e com o volume de conteúdo das ideias. Ele, um baita professor... e eu, um projeto de professor. Meses depois, estou na faculdade novamente, para minha primeira aula sobre Literatura Universal... lá estava ele: Luiz Haiml! Bem, professor... se o senhor ler isso, saiba que eu pretendo alcançar o mestrado para chegar pelo menos à metade do patamar que o senhor me passou! Quero um mestrado em Literatura Universal... eu quero ensinar sobre Edgar Allan Poe e A Odisséia de Homero. Eu não o vi só como um mestre, mas como um companheiro! Ah, obrigado pela orientação no Trabalho de Conclusão! Um dia, pretendo transformá-lo em livro e devo essa ideia inteira ao senhor! Um abração!

Professor Demétrio Alves Paz
OK, minha alma estava salva. Eu ia tentar ser um professor diferente de tudo que eu até então havia aprendido. Valorizei o conhecimento, expandi meus horizontes... mas eu tinha um grande medo: e se eu me tornasse um professor maçante? A luz veio de cima! Forte, marcante, diferente de tudo, o Professor Demétrio me ensinou, sobretudo, como um Professor de Literatura deve trabalhar! Muito da minha metodologia deriva dos métodos do Professor Demétrio, que inclusive será base para um personagem da minha principal criação literária, muito em breve! Este professor também me enche de orgulho em considerá-lo um amigo e, acima disso, um verdadeiro mestre que me influenciou e serviu de modelo até a última aula que hei de lecionar. Então, professor, se o senhor estiver lendo isso, obrigado por tudo!




Queridos professores!
Se vocês estiverem cansados demais para ler todo este parágrafo, é algo mais que compreensível, podem pular direto para a última palavra deste texto.
Simplesmente não existem palavras pra medir tudo isso que me foi dado! Eu era pessoa nenhuma, mas graças a vocês, hoje eu posso dizer que sou alguém! Alguns de vocês mereceram meus textos, outros minha poesia, outros ainda minha veia literária... mas todos vocês mereceram minha dedicação! Eu já disse isso aqui mesmo, mas a dívida da minha formação como pessoa é toda creditada a vocês. Espero voltar logo aos meios acadêmicos e ao lecionado. Enquanto isso não acontece, resta-me o fogo e as cinzas, resta-me um pouco de silêncio e uma imensa saudade. Tenho muito orgulho de tê-los em meu coração!
Não consigo encontrar melhor palavra para descrever com justiça toda a intensidade deste sentimento que você implantaram em meu coração, na falta dela, restou-me apenas esta: Obrigado!

4 comentários:

  1. Obrigado pela reflexão e homenagem aos colegas e amigos, Eveli, Luciane e Luiz! Abração, Roberto!
    P.S: Estou curioso pelo personagem!

    ResponderExcluir
  2. Sem palavras!!! Muito lindo!!! Emocionante!!! Faria tudo de novo. Muito obrigada!!!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Bier por compartilhar um pouco do que aprendeu com essas pessoas extraordinárias aqui!

    ResponderExcluir
  4. Meu sonho é que algum aluno meu faça isso também, Bier.
    Um dia um dos meus alunos me registrará na internet. :)

    ResponderExcluir

Vai comentar? (Faça login no Google antes.)
Com a palavra, o mais importante membro deste blog: você!