sábado, 21 de março de 2015

La última noche de luna


-Você tinha dito que era para valer desta vez!
Eu menti.
-Querida você sabe que é dificil...
Não é, eu não quero mais.
-De novo e de novo...
-Por favor me perdoe...
-Depois disso, como vou confiar em você!
Isso morreu a muito tempo.
-Não confie...apenas me ame...
A porta bate, é o fim.

------

Noite, a lua é amarela, grande e solitaria.
-Ela foi embora...
Acendo um cigarro.
-Poxa que pena, olha sobre nós...
-O que tem?
Ela tapa os seios a mostra.
-Não rola mais, grana encurtou, vou voltar para casa...
-Como assim?...eu acabei com tu...
Um dedo leve, tapa minha boca.
-Xiuu...é o melhor você sabe...
Eu sei mesmo.

---------

-Oi
-Só vim pegar o resto das minhas coisas...
-Espera podemos conversar...
Não podemos não, eu sei que não, não tem mais.
-Cara, acabou, não tem o que conversar...
-Eu sei é só que...
-Você acabou comigo, era tudo que eu tinha...
-Mas que tal...
-Não tem que tal, já peguei o que precisava, adeus.
Acendo um cigarro.
Vejo a lua.
Amarela, vazia.
Amanhã é segunda, vai ser um dia dificil.

Um comentário:

  1. Ih, Gabriel? Fim de relacionamento? Ou é um daqueles lirismos?

    ResponderExcluir

Vai comentar? (Faça login no Google antes.)
Com a palavra, o mais importante membro deste blog: você!